Pilulas mágicas: o uso de medicamentos para emagrecer

Tenho lido com carinho e atenção os depoimentos de vocês no fórum “Pílulas Mágicas”.

Gostaria de repetir algumas observações gerais:

Não se trata de ser “a favor ou contra” o uso de remédios, mas de verificar QUEM PRECISA DELES.
A obesidade é doença crônica e, como tal, em diversos casos, o uso da medicação se faz necessário.
Toda substância tem efeitos colaterais. A diferença entre a cura e a morte é só a quantidade. Por curiosidade, até a água, essencial para a vida e que deve ser consumida de maneira generosa, se ingerida em quantidades desproporcionais, pode provocar uma sensação parecida com embriagues. Esse estado se dá por uma espécie de edema cerebral, provocado pela eliminação ecessiva de sódio (hiponatremia)…
Só um médico, após avaliar cada caso, examinar, ouvir cada pessoa, analisar exames de laboratório, se for o caso, poderá se você pode e deve ou não se utilizar de medicação.
Segundo critérios internacionais, o medicamento só poderia ser utilizado em obesidade (IMC > 30) e não em sobrepeso (IMC entre 25 e 30), a menos que ocorram problemas outros de saúde, como diabetes, por exemplo.
CUIDADO COM A AUTO-MEDICAÇÃO, remédios “vendidos pela Internet” e outras preciosidades.
O uso de medicação não substitui o empenho pessoal, o comprometimento da pessoa que quer emagrecer. O REMÉDIO É COADJUVANTE!!! A protagonista é VOCÊ!!!
Remédio não cura a obesidade! Bem receitado pode ajudar, mal prescrito pode atrapalhar e muito sua saúde!
A CLÌNICA É SOBERANA! CONVERSE FRANCAMENTE COM SEU MÉDICO. Só ele poderá, avaliando seu caso, indicar o uso ou não de medicamentos.
FINALMENTE, NÃO EXISTEM PÍLULAS MÁGICAS!!!

Beijo a todas