Lindas e insatisfeitas: beleza traz felicidade?

Diversas pesquisas ilustram a insatisfação da mulher com seu corpo.

Em 2003, foram ouvidos no Rio de Janeiro, 100 adolescentes de classe média alta. O pesquisador informa que 35% pretendiam se submeter à cirurgia estética. Antes do ano 2000, 5% das cirurgias plásticas eram feitas em adolescentes, número que atinge 15 % nos nossos dias. Em 2000, a procura de silicone e lipoaspiração cresceu 1000% entre adolescentes! Estudo com 3512 adolescentes de 13 a 20 anos revela que 74,2 % estão insatisfeitas com seu corpo e 78 % se sentem culpadas quando comem algum alimento que achem engordativo. Estudo realizado no Rio de Janeiro com cerca de 600 universitários da Gama Filho e FMF revelam 100% de insatisfação feminina com a própria imagem. E ficaríamos horas a citar inúmeras pesquisas que convergem para um ponto comum : a insatisfação da mulher com seu corpo, baseadas na busca de um “padrão” herdado da moda. O ideal de beleza das modelos!

Em outras pesquisas as mulheres acreditam que a beleza trará felicidade. Sendo assim, as possuidoras desse “padrão” devem estar satisfeitas, felizes consigo mesmas e realizadas. SERÁ??

Em estudo por mim realizado com 140 modelos, todas maiores de 18 anos, com idades de 18 a 30 anos, nos anos de 2003 e 2004 e obtive os seguintes dados:

  • O IMC variava entre 16,5 e 18,8
  • Todas estavam de alguma forma insatisfeitas com o próprio corpo e queriam emagrecer em média 2,5 a 3,0 kg. Insatisfação corporal : 100%!!!
  • 96 % fariam cirurgia plástica (contra 54% das não modelos, segundo DOVE). Lipoaspiração era a “predileta” com 92% de escolhas, seguida pelo implante de silicone com 72%. Uma menina faria “cirurgia de estomago”…
  • A nota média que deram para seus corpos foi 6,3 e para o rosto 7,2
  • A insatisfação com o rosto era presente em 76%..
  • 72 % fariam correção cirúrgica, se pudessem. A insatisfação com partes do rosto era assim distribuída:
    • nariz, 54%.
    • Olhos 52%,
    • formato do rosto 46%,
    • “papada” 40%,
    • queixo 22%,
    • pele 42%,
    • outros 25%!

Como vemos, a posse do tal padrão não caracteriza maior satisfação pessoal, muito ao contrário! Comparando com outras pesquisas , a insatisfação das modelos é muito mais acentuada que as não modelos. O tal “padrão” não traz felicidade ou tranqüilidade a elas.

Estamos diante de uma patologia cultural, que não diferencia quem tem o tal padrão e quem não tem! TODAS ESTÃO INSATISFEITAS!!! E, paradoxalmente, as possuidoras desse atributo estão mais insatisfeitas ainda! E ninguém usufrui aquilo que tem!!!

Mulheres mais felizes com outras áreas de suas vidas são mais indulgentes na avaliação da própria beleza. Levam em consideração outros fatores, como simpatia, humor, comunicação, cultura, educação, como componentes do “mix” da beleza.

Resumindo, incluíam o ingrediente fundamental, sem o qual não há beleza : AUTOESTIMA!!!

Então? Beleza traz felicidade? NÃO! FELICIDADE TRAZ BELEZA!!!