Mas…Eu preciso perder pouco peso

 

Vamos diferenciar uma mulher obesa ou com sobrepeso daquela que, mesmo clinicamente normal, “precisa” perder alguns quilos. Não adianta negar o fator estético e dizer-lhe apenas “seu IMC é normal. Você não faz parte do grupo de risco”, se essa mulher estiver em conflito com seu espelho. Para muitas, pode ser o convite a praticarem toda uma gama de condutas perigosas ou caírem na mão de charlatões. É só lembrarmos que, no Brasil, 90-95 % das consumidoras de medicamentos moderadores de apetite são pessoas que querem perder peso por razões estéticas…E que dificilmente uma mulher de 1,70m que pese 66 kg, por exemplo, aceitaria esse peso como “normal” , mesmo sabendo que o IMC correspondente seria aproximadamente 23.

Leve em consideração que :

  • Você não é uma mulher obesa ou com sobrepeso. È clinicamente normal e quer perder algum peso (leia-se gordura) por razões estéticas. Não há beleza sem saúde !!
  • Não supervalorize o que o emagrecimento pode fazer por você. Não imagine que problemas emocionais sejam “curados” , que o “homem de sua vida” correrá atrás de você ou que o Bill Gates lhe proponha sociedade…Tudo continuará como antes. Você apenas estará mais leve…Não crie falsas expectativas de beleza ou sucesso via emagrecimento.
  • Busque objetivo viável. Ser TOP Model ou Atleta olímpica é uma condição de exceção  e não regra geral e muito menos garantia de felicidade.
  • Não tome medicamentos sem prescrição médica.
  • Você precisará de orientação nutricional para perder esses quilinhos. Não pense que “é só deixar de almoçar”, pular o café da manhã, deixar de comer carboidratos ou só comer carboidratos…Cuidado ! O tiro pode sair pela culatra !
  • Lembre-se que quanto menos você pesar, mais difícil será a manutenção.
  • Faça exercícios físicos ! Cultive o prazer no exercício. Descubra atividades que lhe dão prazer e faça delas uma rotina. O melhor exercício é aquele que, mesmo estando cansada hoje, tenha vontade de fazer amanhã.Aumente a atividade física informal, aquela que você faz na sua rotina diária. Ande a pé, suba escadas.
  • Não faça do emagrecimento uma obsessão! Continue sua vida.
  • Não tente perder tudo de hoje para amanhã. Desconfie deste tipo de promessa, venha de quem vier. A industria do emagrecimento mobiliza bilhões de dólares. Lembre-se que quanto menos gordura tem no corpo mais lenta é a perda.
  • Emagrecer, mesmo pouco, envolve mudança de comportamento, sem o que você apenas muda PROVISORIAMENTE DE PESO, PERDE ALGUM PESO POR ALGUM TEMPO. Depois…volta e vira yo yo … Emagrecer é mudar estilo de vida e NÃO APENAS PESO. Mudar estilo de vida é mudar hábitos. Mudar hábitos é automatizar novos comportamentos que só tornar-se-ão habituais SE FOREM PRAZEIROSOS! CULTIVE O PRAZER!

 

  • A ansiedade pode levá-la a comer mais e conseqüentemente engordar. Se você usa a comida , mesmo sem perceber, para baixar a ansiedade, QUANDO DIMINUI O ALIMENTO E, PELO MENOS QUANTITATIVAMENTE TERÁ QUE FAZÊ-LO, A ANSIEDADE VOLTA, COMO NUM REBOTE. Aí vem aquele tipo de “nervosismo” que leva de volta à comida ! Por paradoxal que pareça ! Como também parece paradoxal algumas pessoas engordarem justamente quando se propõe a emagrecer.
  • Se a ansiedade estiver presente e não for identificada e tratada LEVARÁ DE VOLTA À COMIDA, inviabilizando seus mais sinceros propósitos  de emagrecimento..
  • SE VOCÊ SABE O QUE FAZER MAS NÃO COSEGUE FAZER AQUILO QUE DEVERIA, SE HÁ UMA ESPÉCIE DE AUTO SABOTAGEM EM SEUS PROGRAMAS DE EMAGRECIMENTO, SE COME NÃO POR FOME MAS POR QUALQUER OUTRO FATOR QUE NÃO CONSEGUE CONTROLATR, INCLUA PSICOTERAPIA EM SEU PROGRAMA !