Sexualidade e emagrecimento

Não existe causa única para a obesidade. Mas que obesidade, falamos em “obesidades”, querendo isto dizer que cada pessoa apresenta um conjunto de fatores diferentes que podem gerar ou manter o excesso de gordura.

A obesidade pode ser a linguagem que o corpo encontra para denunciar um conflito psicológico. Quando isso ocorre, emagrecer inclui trabalhar psicologicamente o sofrimento que o peso excessivo visa esconder e que acomete o obeso, decorrente de suas limitações físicas, sociais, profissionais, estéticas, etc.

Um dos fatores pouco abordados é aquele que se refere à sexualidade.

A comida é um prazer. Só não pode ser O prazer nem substituir prazeres outros como o sexual via excesso de comida. Alguns autores afirmam que nem todos que comem demais têm problemas sexuais, mas todos que tem problemas sexuais comem demais. Certo ou errado, devemos investigar a sexualidade da pessoa que quer emagrecer. Em nossa cultura falamos em “comer alguém”, referindo-nos ao ato sexual.

A obesidade pode ser uma forma de resposta diante do sexo, uma forma de escondê-lo, um escudo para fugir dele. Uma defesa contra a sexualidade e até contra a possibilidade de infidelidade. Uma forma de “enfear-se” e tirar de si o foco da admiração alheia, por senti-la como perigosa ou pelo temor de sua reação diante dela.

De qualquer forma, na abordagem psicológica visando o tratamento da obesidade/sobrepeso, a sexualidade deverá ser criteriosamente analisada.