Quando o stress engorda

Na clínica observamos que, muitas pessoas contam que a batalha contra a balança começou depois que passaram por uma situação traumática. É verdade, tem muita gente que, diante de mudanças importantes de vida, passam a comer em excesso. E pode ser qualquer tipo de problema – briga com o namorado, perdas, morte de alguém querido, separação, desemprego, doenças e por aí vai.

Fatos assim marcantes são chamados pelos especialistas de eventos vitais porque eles têm impacto muito forte na rotina das pessoas. Para cada uma, um determinado evento pega mais do que para outra, é muito pessoal. No fundo, seja lá qual for o fato, o resultado que leva à compulsão é o stress, processo que ocorre quando o organismo e o psiquismo precisam se readaptar para fazer frente a mudanças. O cérebro avisa o corpo que há perigo, risco de sofrimento. E o corpo reage fabricando e jogando na circulação um montão de adrenalina e CORTISOL, hormônios que colocam todas os nossos sentidos em alerta para enfrentar situações ameaçadoras. Se a ameaça for real, é uma reação útil. Se o perigo for criado pela nossa cabeça, toda essa mobilização torna-se muito prejudicial. O cortisol favorece a síntese da gordura e sua deposição na região do abdômen, além de levar a pessoa a comer mais.

Por isso mesmo,, você que quer se livrar dos quilos a mais, tem de se preocupar e cuidar com carinho da sua qualidade de vida, caminho seguro para atingir seu objetivo. Não fique esperando emagrecer para então viver melhor. Em outras palavras, você precisa ser feliz para emagrecer e não emagrecer para ser feliz.