Margareth Libardi: marketing para modelos

  • Formada em Comunicação Social, com especialização em Publicidade e Propaganda, pela FIAM (Faculdades Integradas Alcântara Machado)
  • Ex-modelo, atuou como publicitária na TV Globo SP, na 5.6 Filmes (atual Gorila Filmes) e foi consultora do projeto de contratação on-line de modelos da Trans Burti Network, empresa do grupo Gráficos Burti.
  • Autora do livro Em Busca da Fama, a ser lançado pela Editora SENAC SP.
  • Diretora do site www.assuntodemodelo.com.br
  • Coordenadora do Projeto Modelo Nota 10
  • Consultora de marketing para modelos e atores
  • Palestrante na área de marketing

Quando alguém pensa em ser modelo, normalmente não imagina o que seja esse tal de marketing. A idéia é se cuidar, cortar o cabelo, vestir uma roupa moderna, ter um corpo perfeito, fazer umas fotos, ir numa agência e ganhar fama sob os flashes da mídia.

O que pouca gente sabe é que ser modelo é muito mais do que ter beleza e oportunidade de ficar na frente das câmeras. Quem deseja seguir esta profissão deve saber que o verdadeiro sucesso está mais ligado à boa informação, conhecimento, orientação e responsabilidade do que apenas uma questão de sorte. Num mercado que cresce vertiginosamente, a sorte fica em segundo plano e o que vem na frente é um carreira bem planejada e bem assessorada.

As ferramentas de marketing são utilizadas diariamente com os produtos que compramos e consumimos, com os serviços que contratamos, e também com pessoas que fazem sucesso. A chance de um produto bem trabalhado se fortalecer no mercado é muito maior do que um produto lançado na sorte. Assim acontece com os modelos. A pessoa que tem um plano traçado, uma diretriz para o sucesso, tem mais chances do que aquela que nada conhece e bate em qualquer porta, confiando na sorte.

A orientação de carreira começa antes da mudança de cabelo, antes das fotos, antes da agência. De nada adianta fazer fotos que sua futura agência não vai aceitar. De nada adianta entrar numa agência que não combina com o seu perfil. De nada adianta fazer um corte de cabelo que não te “vende” bem. Os modelos mais bem-sucedidos atualmente, de uma forma ou de outra, passaram por uma assessoria de carreira, seja externa ou dentro de uma boa agência. E continuam sendo assessorados para não perderem espaço no mercado.

O marketing artístico é um estudo que engloba a pessoa e o mercado onde ela vai atuar. Busca-se a melhor combinação entre esses dois pontos para se chegar a um resultado satisfatório. Uma boa orientação de marketing vai evitar perda de tempo e dinheiro, o que é muito comum entre aspirantes à carreira que têm pouca informação. Um amigo indica uma agência e a pessoa segue o conselho, que nem sempre dá certo. Em conseqüência, surgem os problemas psicológicos, a frustração, a queda da auto-estima, a depressão e muitos outros.

Enfim, o marketing para modelos, que inclui estratégias a serem seguidas durante toda a carreira, aumenta as chances de sucesso profissional e colabora com o equilíbrio emocional.

Margareth Libardi