Agorafobia

Ao contrario do que se diz popularmente, AGORAFOBIA não é apenas  o medo de lugares fechados ou abertos. Engloba uma série de situações, variáveis individualmente, cujo denominador comum é o medo de estar longe de casa ou de pessoas e de familiares que dem segurança.

 Pode ser descrita como uma fobia generalizada, habitualmente associada e conseqüente a um ataque de pânico . Caracteriza-se pela ansiedade de estar em locais ou situações em que a saída ou ajuda seja difícil ou o socorro possa não estar disponível  se a pessoa tiver um ataque de pânico ou alguns sintomas de pânico. A Ansiedade ou medo do que possa ocorrer leva a pessoa a evitar  toda uma gama de situações como estar sozinho em casa ou fora dela, entrar em uma multidão, andar de metrô, ônibus, trem, elevador ou avião, guiar carro, passar por pontes ou passarelas.As pessoas que conseguem enfrentar tais situações o fazem com muito sofrimento e habitualmente acompanhadas de alguém de sua confiança. O grau de severidade dos sintomas pode ser medido pelo grau de dependência que a pessoa tem.

Quando exposta às situações a pessoa teme sentir as sensações físicas do medo, do pânico. Por isso é descrita como “medo a priori de sentir medo”  ou, simplesmente, “medo do medo”.

 

A manifestação da agorafobia aumenta gradualmente. A pessoa, só de pensar na situação temida, começa a passar mal por antecipação e a sentir os efeitos da ansiedade (ansiedade antecipatória)  semelhantes ao Pânico. Habitualmente (em 95 % dos casos) tiveram um (ou mais) ataques de pânico que associaram aos locais ou circunstâncias temidas. Esta ansiedade surge em graus variados, desde leve desconforto até a evitação completa da situação por medo de sentirem-se mal.

As situações onde mais freqüentemente se manifesta a agorafobia são :

  • Ficar em casa/sair de casa sozinho
  • Situações em que a saída seja difícil caso venha a sentir-se mal, como estádios ou ginásios esportivos lotados,cinemas, teatros, centros de convenções,  congestionamentos, ocupar o banco de traz de um carro,estar longe da porta de saída de um transporte coletivo.
  • Locais fechados e cheios, como Shopings Centers, restaurantes, supermercados, bancos, teatros.
  • Fila de banco
  • Túneis passarelas, pontes, elevadores, espaço aberto
  • Viajar
  • Ruas cheias, feiras

Agorafobia deve ser tratada por Psicoterapia Comportamental e Cognitiva com técnicas de

exposição gradual à situação temida. Não há qualquer medicação que seja eficaz para agorafobia. Os antidepressivos são eficazes para os ataques de pânico mas nada fazem em relação às seqüelas resultantes.

A tendência do quadro não tratado é a piora e até a incapacitação , pelo aumento do número  das situações temidas e da intensidade da ansiedade. A  maioria das pessoas permanece evitando a situação em função do “medo de terem medo”, de terem um novo  ataque de pânico. Se a evitação diminui o medo momentaneamente, a diminuição do medo aumenta a evitação e este circulo vicioso perpetua o quadro, incapacitando progressivamente a pessoa, podendo leva-la a não mais sair de casa ou faze-lo apenas acompanhada.